HIGHLIGHTS – maio 2017

Bárbara Wagner e Benjamin de Búrca

Aspirations (Aspirações) é a primeira exposição de museu dedicada aos filmes colaborativos desenvolvidos pela dupla. Os três filmes em exibição no Museu de Arte Contemporânea Detroit apresentam performances representativas da autenticidade das manifestações culturais brasileiras, expressões que vão da música a dança, e da prática espiritual a vida noturna. A mostra exibe os trabalhos “Faz Que Vai” (Set to Go, 2016), também em exibição na exposição Evoé na Amparo 60, “Estás Vendo Coisas” (You Are Seeing Things, 2017), e “Terremoto Santo” (Holy Tremor, 2017), até 20 de agosto no MOCAD (Museum of Contemporary Art Detroit).

Carlos Mélo

O artista tem a sua mostra individual “A Palavra Vista Por Dentro” em exibição no Sesc Juazeiro do Norte. A exposição é resultado de uma residência seguida de uma expedição iniciada em Santana do Cariri, município do Ceará, desde 2015, seguindo pelos estados da Paraíba e Pernambuco a fim de pesquisar a polissemia da palavra Cariri.

Gilvan Barreto

Com o trabalho Postcards from Brazil, um mapeamento das paisagens brasileiras marcadas por crimes da ditadura, o artista venceu o Prêmio Pierre Verger na categoria inovação e experimentação na fotografia. A edição 2017 recebeu número recorde de inscritos.

José Rufino

No dia 23 de maio o artista recebeu o Prêmio Mário Pedrosa, na categoria artista contemporâneo, da Associação Brasileira de Críticos de Arte (ABCA) em cerimônia realizada no Teatro do SESC Vila Mariana.

Marcelo Silveira

Encerrou-se no dia 19 de maio a residência do artista em Belo Jardim, onde ocupou a antiga fábrica de mariola da cidade, transformando em ateliê e expaço expositivo durante dois meses. A convite do Instituto Conceição Moura, e com curadoria de Cristina Tejo e Kiki Mazzuchelli, Marcelo levou a cidade a união entre obras realizadas e inciativas pensadas especificamente para o município.

Márcio Almeida

O artista é um dos selecionados para a próxima Bienal Internacional de Arte Contemporânea da América do Sul – BIENALSUR, prevista para ano que vem em Porto Alegre. O trabalho escolhido, intitulado “The Noble Experience”, consiste na produção de uma série de garrafas de aguardente artesanal produzida em penitenciárias e cadeias públicas do Recife.

Paulo Bruscky

O artista é um dos 4 brasileiros na Bienal de Veneza de 2017, onde apresentou sua performance/instalação “Arte se embala como se quer”, realizada no Pavilhão Internacional da Bienal, a performance “Poesia Viva”, duas vezes no Peggy Guggenheim, e “Poema Lingústico”. Em New York, Paulo Bruscky participou no dia 24 de maio do workshop xeroperformance no America’s Society.

Rodolfo Mesquita – A Forma Custa Caro

CEPE Editora apresenta:

Uma vida desenhada entre linhas, palavras e críticas necessárias.
Lançamento do Livro: Rodolfo Mesquita – A forma custa caro.

Convidamos a todos para o lançamento do livro: “Rodolfo Mesquita – A forma custa caro, organizado por João Lima. Em alto padrão gráfico, o livro faz uma coletânea de algumas artes de Rodolfo: uma obra de forte teor crítico sobre o comportamento humano, essencial à vida do artista. No dia do lançamento, em homenagem a Rodolfo, haverá também a inauguração de uma exposição de arte com suas obras. Imperdível.

Programação:

Lançamento do Livro e inauguração da exposição em homenagem ao artista.
Quarta-feira, 24 de maio, às 19h.
Local: MEPE (Museu do Estado de Pernambuco)
Av. Rui Barbosa, 960 – Graças, Recife
Fones: (81) 3184-3171 / (81) 3184- 3178

Exposição – Evoé

Na Mitologia Romana “Evoé” era o grito ou brado alegre de exaltação ou intensa alegria usado nos bacanais, para evocar e saudar Baco (ou Dionísio, na mitologia grega) Deus do vinho, da ebriedade e dos excessos. “Evoé” foi assimilado pelo carnaval, ainda hoje durante o reinado de Momo, é usado como saudação, sobretudo aqui na capital do frevo, tanto que ganhou forma de frevo-canção composto por Nelson Ferreira em 1931, sua maneira de homenagear esse espírito de alegria.

É tomado por esse espírito que a exposição coletiva “Evoé” se apresenta, especialmente pensada para comemorar o momento que a Galeria Amparo 60 avança algumas quadras para se fixar no Edifício Califórnia. Projetado por um dos mais importantes arquitetos e urbanistas brasileiros, Acácio Gil Borsoi, o Califórnia tem valor singular para a história e memória do modernismo na cidade do Recife. Foi um dos primeiros edifícios construídos na orla da praia, projetou uma nova relação de convivência entre as pessoas, a cidade e a paisagem.

Segundo Hans-Georg Gadamer o sentido de festa é de coletividade, celebração para todos. A experiência de festa, impede o isolamento de alguém, e esse espírito de coletividade e integração é o que faz dela uma expressão artística. Por isso a exposição que inaugura a nova fase da Galeria Amparo 60 convoca todos os 35 artistas que fazem parte do seu casting. Festa não tem seleção e isolamento, festa agrega. Suas obras foram escolhidas a partir desse espírito de celebração e da relação com a cidade do Recife, e contaminadas pelo modernismo singular de Borsoi, se acumulam nas paredes do Califórnia para apresentar um panorama da diversidade artística da Galeria. Para além de uma curadoria, a exposição “Evoé”é uma celebração, uma festa, um estado de espírito que agora ocupa a Amparo 60. EVOÉ AMPARO 60!

 

SERVIÇO

Exposição: Evoé

Curadoria: Douglas de Freitas

Abertura: 25 de março de 2017

Visitação: de 28 de março de 2017 a 27 de maio de 2017. Terça a sexta, das 10 às 19h e sábado das 11h às 17h.

Galeria Amparo 60

Rua Artur Muniz, nº 82, sobrelojas 13 e 14 do Edifício Califórnia (entrada pelo restaurante Alphaiate)

Boa Viagem, Recife – PE

+55 81 3033.6060

Terça a sexta: 10 às 19h
Sábado: 11 às 17h

+55 81 3033.6060

vendas@amparo60.com.br

Rua Artur Muniz, nº 82, 1º andar, salas 13 e 14 (Entrada pelo restaurante Alphaiate)
Boa Viagem | Recife | Pernambuco